25 junho, 2017

Quando menos esperas o pior acontece #diáriodaausência

Olá meninas/os,

Como devem ter se apercebido o blog/facebook anda completamente em baixo ( parado!), porque deveu-se a um motivo bastante forte e por isso escrevi no titulo deste post "Quando menos esperas o pior acontece".

Desde sempre, e aposto que quase todas de nós pensamos que tudo o que seja de mal só acontece aos outros mas... na verdade NÃO!

Fez à POUCOS dias cerca de 3 meses que o meu pai  foi para o hospital com um "pequena" dor abdominal, que por sinal só foi ao hospital porque cá em casa o obrigamos a ir porque se não ele não iria. Após vários exames e ecografias o médico sendo de clínica geral marcou-lhe uma consulta de urologia rapidamente, automaticamente percebemos que algo não estava bem.

Passou uma semana de medos e grande ansiedade e lá voltou ele para ir à consulta de UROLOGIA, e o pior aconteceu afinal não era uma dor abdominal qualquer era sim o PIOR um tumor num RIM ( palavra "simpática" de dizer).

O médico disse-lhe logo que do tamanho que estava não havia mais nada a fazer a não ser tirar o rim, agora restava saber se este tinha metástases foi umas semanas de grande sofrimento, grande ansiedade e apenas pensamentos negativos.

No dia 8 de Maio de 2017, foi submetido à cirurgia no Hospital dos Lusíadas onde foi super bem tratado o médico era um doce de homem. Foram cerca de 4/5h de operação e o meu coração continuava desfeito, os pensamentos era só e se têm metástases terá de fazer quimio isto não pode estar à acontecer :(.

Felizmente, a operação correu bem falamos com o médico que nos falou que não quis fazer uma costura muito grande o que lhe atrasou as horas de operação ( foi difícil tirar ), mas faltava saber uma coisinha que nos atormentava ainda mais ( o que disse em cima). Mas...felizmente onde estava o tumor era apenas no rim não havia metástases , bolas saiu-me um peso de cima que vocês não queiram imaginar.

Ficou eternado cerca de 5 dias , a recuperação foi bastante dolorosa mas o que interessa é que após todo o sofrimento dele e nosso também por passar por esta situação que nunca tínhamos passado este problema ficou resolvido.

Hoje faz a sua vida normal já passaram 1 mês e meio ( +/-) e tudo era como antes, precisa de beber muita água óbvio para preservar o que têm.
E agora sim estou bem foi uns meses de muita luta, muita ansiedade sem vontade para nada e assim vos explico o porquê de tanta ausência aqui!

Não consegui mostrar algumas coisas que as marcas me fizeram chegar assim como alguns eventos que fui.

Estou perdoada?

Muitas vezes, não ligamos a pequenas dores que podem ser grandes problemas. Fica aqui o alerta, não deixem de ir ao médico por alguma sintoma que vos atormenta, afinal essa pequena dor pode estar na origem de muita coisa.

Um beijinho,
Inês Tiopista 

Sem comentários:

Enviar um comentário